Estudos 7-Duração - Figuras musicais

FIGURAS MUSICAIS:Para representar o som que é invisível usamos Figuras, sendo elas positivas (som) e o silencio (pausa) as figuras negativas.  O ponto ( figura) possui uma grande atração visual, de maneira que dirige o olhar.

 

Trimembração:     Representação    Positivas (Sons)      Negativas (Silencio)

 

Quadrimembração: Neumatica( Ponto, linhas e  gestos) Mensuralismo (Quadrada) Losango - Redonda

 

O som é presença e ausência, e está, por menor que isso apareça permeado de silêncio. Há tantos ou mais silêncios quantos sons nos sons, e por isso se pode dizer, com John Cage, que nenhum som teme o silêncio que o extingue”.

 

“O silêncio é meio de expressão. Recurso que tende a causar tensão, em consequência de expectativa. Não se restringe exclusivamente à ausência de som. A estética moderna abandona a distinção tradicional entre Som e Silêncio, sendo que o som não pode ser separado do espaço vazio do silêncio em que ocorre. Som e silêncio são polos complementares”.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Idade média (V – XV)

  • Século IV- A origem da escrita neumática, (neuma que significa gesto ou gestual do regente), da qual derivam os sinais musicais usados hoje em dia. Eram usados como acentuações e pontuações nos textos literários da antiguidade. Eram escritos no espaço acima do texto e com o tempo os neumas aparecem mais próximos ou mais longe do texto, iniciando o processo de intenção de alturas mais precisa na notação e o surgimento de uma linha-guia e posteriormente de várias linhas. (Sadie, 1980; Strunk, 1981 e Cardine, 1989).

  • A forma de se medir a duração das notas musicais chama- se Mensuralismo. Foi criada no século XII por Waller Oddington e Franco de Colônia, que aliado ao método de notação das alturas, criado por Guido d’Arezzo, possibilitou o surgimento da escrita musical, usada para registrar nossa música.

  • Século XII- O ritmo era regido pelo texto amoldando as  palavras ou seja o espirito do texto, mas do que sua matéria, inspirando a melodia (Cardibe, 1989, p.57)

  • Século XIII- liberdade e movimentação das vozes e a liberdade mensural (subdivisões).

  • Século XIV- Houve diversas divisões, variações, polirritmia, polimetria e mudanças de coloração (de preto para vermelho e de vermelho para branco), chamando de “White notation”. (Sadie, p.814).

Renascimento​: Século XVI- Harmonia e Métrica, sendo o ritmo pura divisão matemática. Proliferação da música instrumental (ostinato e baixo continuo) deixando a parte declamatória para a voz superior.

O impulso da dança deu vida aos ritmos e sua padronização. (Sadie,1980).

 

 

 

 

 

  •  

                                                        

 

      Ponto de Aumento

 

 

 

 

 

 

 

  • QUIALTERAS :                                     São grupos de notas empregados com maior ou menor valor do que normalmente                                                                 representam; são grupos de valores que aparecem modificando a proporção                                                                         estabelecida pela subdivisão de valores.

  • As quiálteras podem ser: Duina (2 notas), tercina (3 notas), quartina (4 notas), quintina (notas) sextina (6 notas), septina (7 notas), etc.

 

 

 

 

 

É um ponto colocado à direita da figura (positiva ou negativa) para aumentar a metade de seu valor. No caso de haver um ponto duplo será acrescentada a metade mais a quarta parte.

São alterações em que três tempos substituem os dois tempos normais (metade mais o inteiro).